(in)corpóreo

Evolução da linguagem mostra continuidade evolutiva entre mente e corpo, que não devem ser considerados atributos independentes de um organismo

Temos certeza que comandamos nosso corpo. Temos portantocerteza que há nós, e há ele, o corpo, e isso se reflete em muito do que dizemos ou fazemos no dia a dia. Essa certeza inaugura uma divisão primeira entre o corpo, matéria bruta ignorante, e a mente, prodígio do raciocínio que pode nos elevar acima e levar além.  Continue Lendo “(in)corpóreo”

Evolução Simplificadora

A evolução é um processo tanto de aumento quanto de diminuição de complexidade

O conceito de evolução biológica tem sido frequentemente atado à ideia de progresso, não somente entre o público leigo, mas também no jornalismo científico, no ensino de ciências e, inclusive, na literatura acadêmica. A imagem de um macaco curvado assumindo gradualmente uma posição ereta até tornar-se um ser humano moderno, armado com uma lança ou um telefone celular, é uma das imagens mais comuns ligada ao conceito de evolução.  Continue Lendo “Evolução Simplificadora”

Eucarioto sem mitocôndrias não refuta mas apoia teoria endossimbiótica

Desde a educação básica, aprendemos como distinguir procariontes e eucariontes. Procariontes incluem bactérias e arqueas, organismos cujo genoma se resume a um único cromossomo circular, que não se encontra num núcleo separado do citoplasma. Eucariontes têm mais de um cromossomo linear, dentro de um núcleo separado do citoplasma por uma membrana dupla. Procariontes têm ribossomos e citoesqueleto, que são distintos daqueles dos eucariontes, e não possuem organelas com membrana.  Continue Lendo “Eucarioto sem mitocôndrias não refuta mas apoia teoria endossimbiótica”

Os habitantes da minha pele

Pesquisadores mapearam todas as espécies de fungos, bactérias e vírus que ocupam diferentes partes do corpo humano e como elas variam no tempo.

No início da microbiologia, para identificar uma bactéria era necessário cultivá-la em um meio de cultura apropriado e depois reconhecê-la ao microscópio com o uso de corantes específicos. Com o avanço das técnicas de biologia molecular nas últimas décadas, tornou-se relativamente simples identificar uma espécie de bactéria a partir da sequência do seu DNA. Isso revelou uma surpreendente diversidade de microrganismos que não podiam ser identificados por técnicas tradicionais.  Continue Lendo “Os habitantes da minha pele”

Indicadores precoces de mudanças críticas são importantes para gestão de sistemas socioecológicos

Sinais ou indicadores de pontos críticos nos quais mudanças catastróficas podem ocorrer são muito importantes na gestão de sistemas socioecológicos.

Não é difícil reconhecer a importância de saber se uma sociedade está ameaçada por alguma mudança catastrófica. Por exemplo, se mudança no comportamento de reservatórios pode interromper, súbita e drasticamente, o fornecimento de água, como ocorreu na cidade de São Paulo (ver artigo de pesquisadores da UNESP e da USP a este respeito aqui). Para entender tais mudanças, temos de considerar a relação íntima entre nossas sociedades e os sistemas e processos ecológicos. Isso torna mais produtivo pensar em sistemas socioecológicos, sem separações que ainda dominam discursos sobre sociedade e natureza.  Continue Lendo “Indicadores precoces de mudanças críticas são importantes para gestão de sistemas socioecológicos”